Home » » Onde está a inteligência?

Onde está a inteligência?

Esta é uma pergunta quase inevitável, onde está a inteligência do chatterbot? Em algum momento este tipo de questionamento acaba surgindo e para responder esta questão é interessante observar como a computação entende o conceito de inteligência.

Se perguntarmos para algumas pessoas o que é inteligência, é possível que algumas atribuam o significado desta palavra ao fato de sermos capazes de aprender, neste sentido uma resposta possível seria, “inteligência é uma forma de mensurar a capacidade de aprendizado de uma pessoa” ou ainda “inteligência pode ser entendido como complexa capacidade humana de solucionar problemas”.

Ambas as respostas acima estão de alguma forma conectadas com a questão da inteligência, no entanto, sinalizam para características da inteligência humana sem considerar outros seres vivos. 

Os insetos, plantas e vírus, podem manifestar comportamento inteligente como no caso da abelha que constrói a colméia e produz o mel ou ainda os vírus capazes de enganar os sistemas de proteção do corpo humano produzindo doenças e morte em alguns casos.

Se considerarmos que estes seres vivos manifestam um comportamento inteligente, é plausível admitir que, para existir tal comportamento seja necessário algum tipo de inteligência.

No caso dos insetos, vírus e outros seres vivos menos complexos, é possível atribuir o termo inteligência primeira ou inteligência primitiva, sinalizando para os primeiros estágios do surgimento da vida.

Este tipo de inteligência ocorre através da manifestação de um padrão conhecido como estímulo-resposta. Um inseto ao perceber um ponto luminoso segue ao encontro deste, algumas plantas se posicionam na mesma direção que o sol. Em ambos os casos o que ocorre é um comportamento em resposta ao estimulo de luz e calor.

No caso do chatterbot quando alguém digita um texto, por exemplo, “olá” o simulador responde ao estímulo apresentando na tela uma frase do tipo “oi, em que posso ser útil?”. A resposta de um chatterbot segue o mesmo padrão de estímulo-resposta dos insetos, vírus e outros seres vivos com inteligência primitiva.

A diferença de um inseto para um chatterbot está no fato do inseto ter o seu padrão de instruções organizado pela natureza enquanto um chatterbot é artificial, possui um padrão determinado por uma pessoa.

A inteligência dos chatterbots assim como dos insetos encontra-se na manifestação de um comportamento por ocasião de um determinado estímulo.

É oportuno observar que no inicio do surgimento da vida não existiam sistemas complexos como cérebros e redes neurais, apenas microscópicos seres vivos de comportamento estímulo-resposta.

Com a evolução destes seres microscópicos novos sistemas cada vez mais complexos foram surgindo, dando origem a um novo padrão de inteligência baseado em estímulo, aprendizado e resposta. Este novo padrão se desenvolveu com base em um complexo sistema conhecido como sistemas neurais.

A ciência da inteligência artificial usa o termo inteligência para representar dois momentos na evolução da vida, neste sentido, inteligência pode significar manifestação estímulo-resposta ou capacidade de aprendizado. Os chatterbots encontram-se no primeiro grupo, caracterizado pela inteligência primitiva.

Leia a sequencia deste conteúdo conforme abaixo:
01 - 02 - 03 - 04 - 05 - 06 - 07 - 08 - 09 - 10 - 11 - 12 - 13 - 14 - 15 - 16
BlogdoJSilva. Tecnologia do Blogger.