Home » » O cérebro humano é naturalmente focado em religião e não em ciência

O cérebro humano é naturalmente focado em religião e não em ciência

Estudo sugere que o raciocínio científico e filosófico não é uma tendência do pensamento e exige maior esforço e disciplina mental para a tarefa. As pessoas possuem uma forte tendência natural para pensar de forma teleológica.


A teleologia é o estudo do propósito, objetivo ou finalidade das coisas e eventos. Um pensamento teleológico consiste na atribuição de finalidade para as coisas.

Nossa estrutura mental nos impele para a busca do sentido das coisas e isso leva a necessidade de justificação sobre a finalidade dos fenômenos. Essa necessidade por um lado é o motivador da curiosidade humana e por outro dificulta o raciocínio científico e filosófico.

Uma equipe de pesquisadores de psicologia na Universidade de Boston organizou um experimento onde foram entrevistados diversos acadêmicos. Um grupo teve que responder de imediato quando recebiam uma pergunta. Outro grupo participou do mesmo teste com tempo para pensar nas respostas.

O resultado foi que os acadêmicos que não tiveram tempo para elaborar as respostas caíram em um raciocínio teleológico respondendo com explicações do tipo "As árvores produzem oxigênio para que os animais possam respirar", ou "A Terra tem uma  camada de ozônio a fim de proteger da luz UV.".

Ao atribuir intenção ou finalidade para os eventos naturais existe uma forte tendência ao raciocínio religioso onde a presença de uma inteligência criadora parece estar presente como conclusão plausível para a finalidade das coisas.

O grupo que teve tempo para pensar nas respostas assumiu uma postura que privilegiou o aleatório e o acaso com conseqüência do mundo excluindo a idéia de finalidade ou intenção.

Para os pesquisadores o resultado do experimento sugere que possuímos uma dificuldade natural para aceitar o acaso e o aleatório como explicações sobre a existência e funcionamento do mundo.

Ao que parece, quando estamos sob pressão possuímos um impulso natural para manifestar um desejo de voltar-se em direção da religiosidade como justificação da vida e negar a idéia de acaso ou aleatório.

A necessidade de atribuir sentido para as coisas pode ser a chave de acesso para a manifestação religiosa. 

Leia mais sobre este experimento de psicologia na Universidade de Boston em http://www.livescience...
BlogdoJSilva. Tecnologia do Blogger.